Capa do Texto A Letra T: Dia da Visibilidade Trans

A letra T – Dia da visibilidade Trans e Travesti

No dia 29 de Janeiro é comemorado o Dia da Visibilidade Trans e Travesti. Foi nessa data, em 2004, que pela primeira vez, transexuais e travestis foram ao Congresso Nacional para falar sobre a sua realidade.

Conhecer e entender são os primeiros passos para ajudar nessa luta que existe muito antes dessa data nascer.

Transgênero são todas as pessoas que se identificam com um gênero¹ oposto ao seu sexo biológico². Podendo identificar-se como: homens e mulheres trans, travestis e não binárias.

Travesti x Transexuais: Existe diferença?

O termo travesti é geralmente atribuído a homens que expressam a identidade de gênero feminina. Infelizmente, é um termo ainda muito marginalizado dentre os poucos países que o utilizam, mas que está sendo ressignificado pela comunidade Trans como forma de empoderamento.

Num geral, não há diferença entre os dois termos, são formas diferentes de se expressar.

Todas as escolhas devem ser respeitadas!

“Há pessoas que parecem trans e não são. Há pessoas que são trans e não parecem ser. Há pessoas que são trans e não querem ser identificadas como tal, parecendo ser trans ou não. Elas se apresentam como homens ou mulheres e ponto final.

Fonte: #AgoraVai – Cartilha para Profissionais de Recursos Humanos por TransEmpregos

Transfobia no Trabalho

Transfobia é o nome dado para todo e qualquer tipo de preconceito, violência e discriminação contra pessoas transgêneras.

Pode aparecer de forma explícita ou velada, por isso é importante ficar atento.

Tenha uma cultura pautada no respeito ao próximo e crie regras rígidas sobre discriminação no ambiente de trabalho.

Travestis e transexuais tem, historicamente, menos acesso aos incentivos de educação, trabalho formal e menos espaço de fala nos ambiente que ocupa, respeite o processo de aprendizado de cada profissional e apoie o seu trabalho.

Não reproduza transfobia!

Algumas frases, expressões e até questionamentos podem ser ofensivos. Pesquise, leia e contribua retirando frases transfóbicas de seu vocabulário. Preste atenção e aprenda quando uma pessoa trans apontar uma atitude transfóbica.

Não pergunte “Você é homem ou mulher”
Na dúvida, pergunte por qual pronome a pessoa utiliza (por exemplo “seu” ou “sua”, “ele” ou “ela”) e sempre utilize o nome social da pessoa.

Transfobia é crime!

Em junho de 2019, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu permitir a criminalização da homofobia e da transfobia no Brasil. Não fique calado!

Apoie e aplique iniciativas de inclusão

Uso do nome social em documentos a processos seletivos exclusivos para pessoas trans. É importante que você, seu time e sua empresa estejam sempre engajados na luta contra a transfobia e disparidade de pessoas trans no mercado de trabalho.

Conheça!

  • ABGLT: Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (Acesso o site)
  • ILGA: Associação Internacional de Gays e Lésbicas (Acesse o site)
  • ANTRA: Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Acesse o site)

Baixe

¹ Identidade de gênero: Refere-se ao gênero que você se autoidentifica. (Homem, mulher, não binário/queer…)
² Sexo biológico: Refere-se às características biológicas relacionadas à genitália, hormônios, cromossomos. (Masculino, feminino, intersexual)

Contribua com esse tema!

Viu alguma informação errada ou quer contribuir com mais informação sobre esse tema? Envie uma mensagem para contato@jobecam.com

Karina Miranda

Karina Miranda é publicitária formada pela FAPCOM com especialização em Comunicação, Design e Inovação pela CSUN - Universidade do Estado da Califórnia em Northridge. Há um pouco mais de 5 anos atua criando conteúdo e estratégias de Marketing e Branding para empresas de grande porte e startup. Atualmente é Head de Marketing na Jobecam, plataforma de R&S que leva mais agilidade e diversidade para a seleção de talentos e pioneira em entrevista às cegas por vídeo.